ARTRÓPODES TERRESTRES NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL: UM MODELO PARA UTILIZAÇÃO POR EMPRESAS DE CONSULTORIA

Tércio da Silva Melo, Marcelo Cesar Lima Peres, Alessandra Rodrigues Santos de Andrade, Magno Lima Travassos de Oliveira, Moacir Santos Tinoco

Resumo


Com o intuito de otimizar as atividades de empresas na realização de estudos de licenciamento ambiental, através de uma discussão teórica, propomos grupos de artrópodes terrestres e métodos de coleta específicos como modelos para a realização de serviços de gestão ambiental. Fundamentamos a seleção dos artrópodes terrestre através do conceito de organismo bioindicadores; na facilidade de ser encontrado, coletado e conservado; e na existência de coleções científicas e pesquisadores especializados na identificação. Já os métodos de coleta foram escolhidos baseados na abrangência da coleta de artrópodes, além da aplicabilidade e custos. Recomendamos no artigo a utilização de quatro grupos de artrópodes terrestres (Araneae, Formicidae, Coleoptera e Orthoptera), seis métodos de coleta (Armadilha de água, Armadilha de queda, Coleta Manual, Extrator de Winkler, Guarda-chuva entomológico, Rede de varredura), 33 instituições especializadas na identificação dos grupos indicados, e propomos um modelo de amostragem para o licenciamento ambiental. Assim, para que os estudos de licenciamento ambiental sejam otimizados, as empresas devem ter definido a finalidade de seu estudo (o objetivo) e as condições da área (o ambiente), para assim definir o objeto de estudo (o organismo) e como coletar o objeto (as técnicas).

Palavras-chave


Delineamento Amostral; Bioindicador; Métodos de Coleta; Diagnóstico ambiental; Monitoramento ambiental

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


LAJBM está indexada em:

   

 

ISSN: 2178-4833